Wednesday, 26 de July de 2017

Arquivo de Setembro, 2010

WEGA – Novo conceito no aproveitamento da energia das ondas

Publicado por jjoel em Setembro - 30 - 2010

O WEGA é um dispositivo composto por um corpo suspenso articulado, semi-submerso, anexado a uma estrutura de fixação, que oscila numa órbita elíptica com a passagem das ondas.

O movimento do corpo acciona um cilindro hidráulico, que empurra o líquido de alta pressão através de um acumulador e um motor hidráulico, conduzindo-o ao gerador que produz energia.
O corpo articulado interliga-se com a estrutura de fixação através de uma cabeça rotativa que lhe permite adaptar-se à direcção de propagação das ondas.
Vários dispositivos podem ser colocados numa única estrutura de fixação de acordo com o tamanho e local de implantação da estrutura.

ACOPLAMENTO HÍBRIDO

A estrutura de fixação, onde os corpos suspensos são acoplados, pode ser concebida de modo a permitir o desenvolvimento de outras actividades relacionadas com o aproveitamento dos recursos oceânicos:

  • Energia eólica offshore
  • Aquacultura
  • Dessalinização da água
  • Vigilância marítima
  • Detecção de tsunamis
  • Plataformas de comunicações
  • I&D orientada para o oceano
  • Produção de hidrogénio
  • Energia para plataformas de petróleo e gás

SEM JOGOS MECÂNICOS DENTRO DE ÁGUA

Acreditamos que todos os jogos mecânicos em permanência na água podem sofrer danos irreparáveis, pondo em causa a durabilidade e viabilidade de qualquer dispositivo. Todos os jogos mecânicos e vedações dinâmicas, só existem fora de água e devidamente protegidos. Dentro de água todas as aplicações mecânicas e vedações são estáticas, conferindo assim uma elevada fiabilidade ao sistema.

ESCALABILIDADE & MODULARIDADE

Possibilidade de adaptar as dimensões ou a quantidade de dispositivos:
DIMENSÕES dimensão do receptor de acordo com as condições médias do mar;
QUANTIDADE número de receptores de acordo com a estrutura de montagem disponível.

ADAPTABILIDADE ÀS CONDIÇÕES MARÍTIMAS

Graças à capacidade para variar densidade, a tecnologia WEGA adapta as suas operações às condições do ambiente marítimo, evitando longos períodos de paragem quando as condições não são as ideais.
Além disso, como os absorvedores de energia das ondas estão articulados com a estrutura de fixação por meio de uma cabeça rotativa, o WEGA é capaz de se adaptar à direcção de progressão.

MÚLTIPLAS POSSIBILIDADES DE IMPLANTAÇÃO: OFFSHORE, NEAR SHORE, LINE SHORE

A nossa tecnologia é pensada para utilização offshore. Pode, no entanto, ser aplicada near shore, desde que o tamanho da máquina esteja ajustado à profundidade do local.

INTEGRAÇÃO DAS TECNOLOGIAS OFFSHORE EXISTENTES

O casco do corpo principal será composto por um tubos de aço que afunila na extremidade inferior. No seu interior está o tanque de balastro, necessário para fazer variar a massa volúmica do corpo, e alguns componentes hidráulicos. Os restantes componentes do Power Take-off system estão localizados na parte superior do corpo, sendo que o motor hidráulico e o gerador eléctrico ficam colocados na parte superior da estrutura de fixação, onde gozam de melhor protecção contra as intempéries.

ACCESSIBILIDADE, MANUSEAMENTO E OPERAÇÃO

Todos os problemas de funcionamento podem ser resolvidos a partir da estrutura de fixação. Visto a estrutura ser independente e ter a parte superior fora da água, torna-se mais fácil aceder aos componentes do sistema, independentemente das condições meteorológicas.

Transcrito de : [Sea For Life]

É do Norte, carago!!!

Publicado por Joel Rosado em Setembro - 16 - 2010

Frigorifico mural exterior

Publicado por jjoel em Setembro - 16 - 2010

É interessante a forma como as práticas culturais podem desencadear a inspiração para criar um produto que pode ser uma extensão moderna dessas mesmas praticas.

Em todas as culturas é frequente usar o ambiente exterior para tratar/conservar alimentos, na Índia é costume colocar pickles no parapeito das janelas para marinar e cozinhar os mesmos, já na China, devido ao seu clima friorento nalgumas regiões, a comida é colocada no exterior para conservar. Parece ser esse uso que está por detrás da inspiração de Nicolas Hubert na criação do design usado pela Electrolux no seu frigorífico exterior, que se fixa na parede da sua casa de modo a que tenha acesso por uma janela ou varanda.

Este frigorífico usa, durante o inverno o frio exterior para a conservação e durante o verão recolhe energia solar (células fotovoltaicas) para alimentar o frigorífico.

Aqui ficam algumas imagens:

Se acha este projecto interessante poderá votar nele aqui, estão lá mais designs interessantes.

Fonte:[electroluxdesignlab]

A empresa japonesa GS Yuasa Corp anunciou o desenvolvimento de uma novo material no eléctrodo positivo  (cátodo) das suas novas baterias de ion-lítio (Li-Ion).

Este novo material “lithium vanadium phosphate” já vinha a ser estudado para a sua aplicação como cátodo para baterias, com este material espera-se que não só melhor a densidade de produção e segurança das baterias, mas também potencialmente reduzir os seus custos.

Um protótipo de uma bateria utilizando o novo material. que a  GS Yuasa fabricou, comparado com uma bateria de lítio utilizando fosfato de ferro, que também é um material de eléctrodo positivo com ácido fosfórico, a segurança do protótipo é quase o mesmo e a sua produção é 20% superior. A empresa planeia desenvolver  baterias Li-ion recarregáveis utilizando o novo material para ser utilizado em veículos híbridos eléctricos.

Este protótipo tem uma tensão nominal de 3.5V, a capacidade actual de 5.0Ah, um tamanho de 21 (Esp.) x 112 (Comp.) x 81 milímetros (Alt.) e um peso de 318g, o que promete.

Fonte:[techon]

De papel para lápis

Publicado por jjoel em Setembro - 15 - 2010

Acho este conceito muito interessante, e uma peça com um design futurista.

O que faz esta engenhoca?, todos temos em cima das nossas secretárias papel que deitamos para o lixo, algum dele talvez para o papelão, com este aparelho podemos transformar esse papel em lápis, para usos diversos, escritório, casa, escola, etc.

Basta introduzir a folha de papel no respectivo lugar e passados uns segundo sai um lápis, esse lápis é feito a partir de um núcleo de grafite que é envolvida pela folha de papel,  imagino que poderá ter diversas cores.

Não é um aparelho de destruição de documentos em massa, mas é uma forma muito inteligente de reaproveitar papel. Esse mesmo gadjet pode afiar os lápis que ele próprio constrói.

Aqui ficam algumas fotos.

Esta obra de arte foi concebida nos estúdios da yankodesign por: Chengzhu Ruan, Yuanyuan Liu, Xinwei Yuan & Chao Chen

HijackThis 2.0.5

Publicado por Joel Rosado
Mai-4-2015 I Comentar