Monday, 23 de October de 2017

7 Grandes descobertas científicas feitas em sonhos.

Publicado por Joel Rosado em Junho - 24 - 2015

Os sonhos podem ser reveladores, que o digam Bohr, Elias Howe, Einstein ou Dimitri, sim esse, o da tabela periódica!

Assista ao video.

Por que sonhamos? Os sonhos têm algum significado? Para estas pessoas, os seus sonhos tiveram um grande impacto  na humanidade.

7-factos

 Vamos começar a tomar mais atenção aos sonhos…. Pode ser que consigamos descobrir a pedra filosofal!

Fonte : [Beyond Science]

5 Artefactos misteriosos, que ninguém sabe explicar.

Publicado por Joel Rosado em Junho - 4 - 2015

Objectos que poderão reescrever a história!

Video : [Beyond Science]

O que serão estes objectos, como se explica o facto de pela ciência serem datados, alguns com milhões de anos ( pelo menos as rochas onde estavam encrustados ).

Provas de uma civilização antiga, como a Atlantida?. Ou a visita de seres de outros mundo no tempo dos dinossauros?. Ou ainda viajantes no tempo?

Como alguém diria, “pois, não sei”.

jjoel martelo londres texas

O martelo da cidade de Londres no Texas, EUA (Cortesia/Bible.ca)

Este Oopart (Artefato fora do lugar), conhecido como “martelo de Londres“, foi encontrado na cidade de Londres no Texas e é muito controverso, o cabo estava petrificado, e o martelo só poderia ter sido construído com metal de tecnologia moderna.

Algumas explicações são bem vindas. 😉

A Geometria da Força.

Publicado por jjoel em Junho - 3 - 2015

Isomax – a força da geometria.

Jonathan Berger Isomax

Foto crédito: Sonia Fernandez

No mundo dos materiais de alta performance, que pode ser bastante exigente. Queremos que as coisas sejam fortes, mas ao mesmo tempo leves, flexíveis mas resistentes, de alta qualidade, mas facilmente fabricados de uma forma sustentável.
Na Universidade da Califórnia em Santa Barbara o engenheiro mecânico e de materiais, o cientista Jonathan Berger desenvolveu um material que pode cumprir todos esses ideais – uma espuma sólida que ele descreve como “a mais eficiente no Universo.”
Chamado Isomax, este material também pode ser facilmente fabricado, e, com pequenos ajustes, alterado para enfatizar diferentes propriedades para funcionar de várias maneiras, sem sacrificar a sua integridade estrutural.

De acordo com Berger, a espuma Isomax, em comparação com outros materiais de engenharia semelhantes, tem maior rigidez em relação ao peso, o que significa que com a sua densidade relativamente baixa, tem maior rigidez, resistência ao esmagamento e a forças de cisalhamento que outros materiais de elevada densidade.

A chave para a tecnologia inovadora por trás Isomax é uma ciência antiga: geometria. A espuma tem uma topologia ordenada de células que ocorrem regularmente caracterizadas por duas formas básicas – o triângulo e a cruz. Tomado-se num espaço tridimensional, as células parecem-se com pirâmides contíguas – algumas com três faces diagonais e uma base; ou quatro faces diagonais reforçado com diagonais.

Isomax cell

Foto crédito: Sonia Fernandez

Porque tem certas simetrias e alinhamentos e atinge os limites teóricos para a rigidez, não há outro material como ele“, disse Berger.

Parece-me interessante, veremos as aplicações práticas, que podem ir desde próteses a complexas construções modulares.  Alem disso pode ser impresso em 3D, que na minha opinião será o futuro…

Pode continuar a ler aqui {Em inglês} : [UCSB]

A empresa japonesa GS Yuasa Corp anunciou o desenvolvimento de uma novo material no eléctrodo positivo  (cátodo) das suas novas baterias de ion-lítio (Li-Ion).

Este novo material “lithium vanadium phosphate” já vinha a ser estudado para a sua aplicação como cátodo para baterias, com este material espera-se que não só melhor a densidade de produção e segurança das baterias, mas também potencialmente reduzir os seus custos.

Um protótipo de uma bateria utilizando o novo material. que a  GS Yuasa fabricou, comparado com uma bateria de lítio utilizando fosfato de ferro, que também é um material de eléctrodo positivo com ácido fosfórico, a segurança do protótipo é quase o mesmo e a sua produção é 20% superior. A empresa planeia desenvolver  baterias Li-ion recarregáveis utilizando o novo material para ser utilizado em veículos híbridos eléctricos.

Este protótipo tem uma tensão nominal de 3.5V, a capacidade actual de 5.0Ah, um tamanho de 21 (Esp.) x 112 (Comp.) x 81 milímetros (Alt.) e um peso de 318g, o que promete.

Fonte:[techon]

Antibióticos à 1700 anos atrás? – Sim, na cerveja!

Publicado por jjoel em Setembro - 2 - 2010

Uma análise química dos ossos de antigos núbios – grupo étnico originário do norte do Sudão – mostra que eles consumiam regularmente tetraciclina na cerveja. A descoberta é uma evidência forte de que a “arte” de fazer antibióticos (cuja invenção oficial é associada à descoberta da penicilina em 1928) era praticada há cerca de 2 mil anos.

A pesquisa, liderada pelo antropólogo George Armelagos e químico médico Mark Nelson, da Universidade Emory e Paratek Pharmaceuticals, respectivamente, foi publicada no Americanl Journal of Physical Anthropology.

“Nós tendemos a associar medicamentos que curam doenças com a medicina moderna”, diz Armelagos. “Mas está-se a tornar muito claro que populações pré-históricas usavam evidências empíricas para desenvolver agentes terapêuticos. Não tenho dúvidas de que eles sabiam o que estavam fazendo”.

Em 1980, o pesquisador encontrou os primeiros vestígios de tetraciclina em ossos humanos da Núbia, datados entre 350 e 550. A equipa então vinculou a substância à cerveja, fermentada por bactérias Streptomyces, que produz tetraciclina. Dissolvendo ossos com fluoreto de hidrogênio, os pesquisadores conseguiram observar que o organismo destes indivíduos estava saturado com a tetraciclina, convencendo a equipa de que o seu consumo não era “acidental”.

Além disso, a equipe também descobriu que a tíbia e o crânio de um menino de quatro anos estavam cheias de tetraciclina, sugerindo que a criança estava a receber altas doses da substância com o intuito de ser curada.

Fonte:[Ciência Diária]

HijackThis 2.0.5

Publicado por Joel Rosado
Mai-4-2015 I Comentar